This post is also available in: Français Deutsch Русский English

O tracker da Dash Latam revelou que o número de transações nos últimos 28 dias ultrapassou os 1 100, com uma média de 79.6 transações por dia no mesmo período de tempo.

As transações de Dash não só alcançaram um grande total mensal de transações, mas também se mantiveram relativamente pequenas, dando insights sobre as preferências dos consumidores de usar Dash para transações cotidianas em vez de grandes compras. Isto também é suportado pelo fato de que há 301 comerciantes ativos dentre os 616 comerciantes aceitando Dash no continente, o que é um aumento em relação aos 280 comerciantes ativos dentre 616 um mês atrás.

Deve ser notado que, apesar do número diário médio de transações ser relativamente alto, ele foi afetado por dias de uso pesado, que puxaram a média para cima. O maior pico do mês passado, tanto em número de transações quanto em valor, foi em 26 de Julho com 221 transações com um valor em USD de 1 211.25 ou 15.95 Dash. No entanto, a mediana, que é menos modificada por grandes ocorrências isoladas e tende a ser mais representativa de um dia típico, está em 36.5 transações por dia nos últimos 14 dias. Os dados dos dias do período de 14 dias também mostram que havia um valor mediano de 183.27 USD por dia. Dividindo um pelo outro, obtêm-se uma mediana de 5.02 USD por transação.

A maior atividade coincide com notícias e integrações na região

O crescimento no volume de transações nos processadores de pagamento dos comerciantes vem em um momento em que outros indicadores positivos estão crescendo na região da América Latina. O Dash recentemente chegou às 10,000 carteiras Android ativas só na Venezuela. Além disso os números do mês de Julho são logo depois do lançamento evolucionário do ChainLocks, que torna o Dash mais seguro contra ataques de 51% do que outras criptomoedas.

Outro sinal do ganho de popularidade do Dash na região é a sua propaganda “espontânea” no supermercado local La Esperanza em Cúcuta, que é “logo ao lado da fronteira com a Venezuela”, de acordo com George Donnelly — líder dos projetos da Dash Colômbia e da Dash Latam. O Paga con Dash, também liderado por George, ajuda a organizar a comunidade local a apoiar os comerciantes locais pagando com Dash para encorajar o seu uso habitual. Essa possibilidade crescente de se usar Dash em lojas locais e restaurantes na América Latina mostra a habilidade dos consumidores usarem o Dash para suas compras cotidianas, que também ajuda o Dash a se tornar uma ferramenta de remessas.

A América Latina está se tornando um importante sucesso em potencial para a história do Dash

A rápida adoção do Dash pelos comerciantes e consumidores na América Latina demonstra o potencial do Dash de resolver problemas — como falta de acesso bancário e taxas/cobranças excessivas dos bancos — para muitas pessoas na região. Dando continuidade a isso, o Cryptobuyer integrou o Dash no ano passado como uma alternativa ao Bitcoin quando as taxas dispararam, e desde então instalou numerosos caixas eletrônicos e plataformas de POS pela América Latina. O seu CEO revelou recentemente que o Dash “ultrapassou o Bitcoin na sua plataforma e terá taxa zero para os comerciantes para encorajar a adoção.

O lado das remessas pode acabar sendo um divisor de águas na região. As criptomoedas em geral são rápidas e têm um custo baixo, especialmente quando comparadas com transmissores de dinheiro tradicionais, como a Western Union. Apesar do Dash superar as outras criptomoedas nesses atributos, ela realmente se distingue permitindo que seja usada diretamente nos comerciantes para comprar itens que os consumidores precisam em sua vida cotidiana, como mantimentos e roupas. Além disso o Uphold — que se integrou diretamente na carteira oficial do Dash — acabaram de eliminar as taxas para saques na blockchain do Dash, permitindo que pequenas quantias sejam economicamente compradas e enviadas como remessas. Isto é amplificado pelo uso direto do Dash em lojas, poupando ainda mais taxas e tempo ao não exigir conversão em moeda local em um caixa eletrônico de criptomoedas ou casa de câmbio.