This post is also available in: frFrançais deDeutsch ruРусский enEnglish

A rede da Dash passou por um teste de stress, processando mais que o dobro das transações do Bitcoin sem problema de performance algum, validando o plano de redimensionamento no longo prazo.

No decorrer de alguns dias, a rede da Dash passou por um teste de stress improvisado, com bem mais do que meio milhão de transações num período de 24 horas. Este teste foi feito usando uma ferramenta de transação que manda lotes de transações, e foi iniciado por membros da comunidade sem planejamento prévio ou aviso aos desenvolvedores.

No momento, a Dash tem blocos de 2 MB. Em comparação, o Bitcoin tem blocos de cerca de 1 MB. O intervalo de bloco da Dash é de aproximadamente 2.5 minutos, quatro vezes o do Bitcoin, então teoricamente a Dash atualmente possui oito vezes a capacidade da rede. O plano de redimensionamento de longo prazo da Dash inclui um redimensionamento on-chain para blocos de até 400 MB, e a viabilidade da rede foi testada extensivamente por pesquisas universitárias com blocos de até 10 MB, o que é aproximadamente 40 vezes a capacidade atual do Bitcoin e mais da metade das transações que o PayPal processa atualmente.

A rede da Dash continuou a operar ininterrupta apesar do enorme volume de transações

Durante esse teste de capacidade transacional, a rede da Dash não experimentou nenhuma disrupção detectável. A rede não experimentou nenhum bloco órfão no decorrer dos dois dias do decorrer do experimento, e o acúmulo de transações sem confirmação do mempool alcançou um máximo de 3.2 MB, o que foi devido a irregularidade do teste mandando milhares de transações de uma vez. Este tamanho de mempool se igualou em menos de dois blocos de dados, significando que demoraria cinco minutos para a rede limpar os dados. Por outro lado, o intervalo de bloco do Bitcoin é de 10 minutos, significando que seria necessário pelo menos o dobro desse tempo para limpar um acúmulo de qualquer tamanho. De acordo com Benjamin Nitschke, chefe de desenvolvimento da MyDashWallet, a carga extra na rede foi basicamente imperceptível:

“Nós não percebemos nada diferente, a CPU passou de 0.5% para talvez 3%, e se não tivéssemos contado a ninguém, eles só teriam percebido alguns dias depois nos gráficos de transação. Por algum motivo o ShapeShift parou de funcionar com a Dash e a Poloniex também, mas isso não parece estar relacionado. Não há razão para pensar que os nós deles sofreram um crash já que eles não estavam sob stress algum (nosso nó de Bitcoin usa pelo menos 10% mais CPU e o nosso nó de Ethereum está usando 100× mais CPU do que a Dash só para acompanhar todas as transações, mesmo sob stress).”

Uma parte deste sucesso é devido a várias otimizações no código com o recente lançamento da versão 12.3, que foi em maior parte, apesar de não completamente, implementada pela rede. De acordo com o Desenvolvedor Chefe Udjinm6, as otimizações no novo lançamento foram especialmente aparentes durante este experimento quando contrastadas com os nós na versão 12.2:

“Percebemos que nós 12.3 de uma CPUs rodavam numa carga de 10—12%, sem nenhum impacto perceptível pelo teste de stress. No entanto, um nó 12.2 de duas CPUs flutuou em cerca de 40—60%, com os de uma CPU perto de 100% o tempo todo.”

Enquanto os testes mostram a capacidade da rede da Dash de processar um volume significativo de transações, isto representa só uma mera fração da atual capacidade da rede com a infraestrutura atual, que teoricamente poderia lidar com milhões de transações agora mesmo. Nitschke notou que isso é uma fração do que a rede pode processar:

“A Dash só foi ‘testada’ até cerca de 10% da sua capacidade diária. Tivemos vários blocos de 2 MB quase cheios, isto foi legal de se ver, mas afora isso só podemos dizer: a Dash funciona como prometido.”

O Bitcoin e o Litecoin experimentaram disrupções severas da rede em capacidades similares

A experiência do teste de redimensionamento da rede Dash está em forte contraste com outras redes blockchain focadas em pagamentos, em particular o Bitcoin e o Litecoin. Em 14 de Dezembro e 4 de Janeiro de 2017 e 2018, respectivamente, quando o volume de transações diário do Bitcoin estava em seu ponto mais alto entre cerca de 424 000 e 490 000 a taxa mediana de transação estava acima de 14 USD e a taxa média estava acima de 21 USD, com picos em ambos os números de 34 USD e 55 USD respectivamente. O Litecoin atingiu seu pico de volume diário de transações em 4 de Janeiro com cerca de 225 000, a atingiu uma taxa mediana de transação de cerca de 0.27 USD naquele dia e nos seguintes, com uma taxa média de 0.50 USD.

Em comparação, a Dash processou volumes de transação significativamente maiores que o Bitcoin e várias vezes maior que os do Litecoin sem mudança perceptível nas taxas de transação, que permaneceram numa mediana de 0.0005 USD e numa média de menos de dois centavos. Isto claramente demonstra a superioridade da rede da Dash em processar números inesperadamente altos de transações sem disrupção, solidificando o argumento em favor de seu uso para pagamentos em comparação com as redes competidoras.

O Bitcoin Cash está buscando uma estratégia de redimensionamento on-chain similar à da Dash, e os pesquisadores nessas duas comunidades colaboraram em suas descobertas, apesar de que a rede do Bitcoin Cash ainda precisa ser testada nesse nível.