This post is also available in: Français Deutsch Русский English

O CEO do Dash Core Group Ryan Taylor acredita que o sistema de governança do Dash é relativamente rígido e pode ser melhorado com alguns ajustes para permitir uma amplitude maior nas decisões.

Durante um podcast recente com Michael Nye, perguntaram a Taylor o que ele gostaria de melhorar no atual sistema, e sua resposta foi que o sistema de governança do Dash é muito básico no momento, funcionando simplesmente para distribuir fundos para entidades contratadas:

“Acredito que o sistema do Dash é muito simples. Temos um orçamento, e o orçamento é basicamente uma porção da recompensa de bloco. Ao contrário do Bitcoin nós alocamos as nossas recompensas de bloco para mais do que apenas mineradores. 45% vão para os mineradores, 45% vai para os operadores de nós (chamados de masternodes na rede do Dash), e os últimos 10% são reservados para nosso sistema de propostas, e isso é todo o resto. Pode ser trabalho jurídico, podem ser desenvolvedores, pode ser marketing, pode ser desenvolvimento de negócios, pode ser tudo que a rede precisa para crescer e se expandir e funcionar.”

De acordo com Taylor, o sistema poderia se beneficiar da habilidade de realocar porcentagens da recompensa de bloco dependendo das necessidades de curto prazo da rede:

“Há muitas coisas que eu mudaria nele. Acho que é muito rígido. Não permite que a rede se flexibilize entre esses três baldes e aloque mais ou menos baseado no quão grande é o orçamento, quais são as necessidades de segurança, quantos masternodes precisamos incentivar para garantir que a rede é descentralizada, e assim por diante. Acredito que permitir que isto seja ajustável é bastante importante no sentido que você pode evitar taxas fixas e decisões fixas na rede, é melhor.”

A inflexibilidade do atual sistema de governança do Dash

Taylor acredita que a habilidade de apresentar decisões para a rede seria um bom acréscimo para o sistema de governança do Dash:

“Acredito que seria melhor ter um tipo de proposta explicitamente voltado para decisões. Poderia até mesmo permitir uma escolha entre coisas diferentes em vez de se restringir a habilidade de votar sim ou não. Você poderia votar em qual empresa de PR a rede deveria contratar, ou uma escolha entre três opções diferentes para uma mudança na rede. Acredito que precisamos de suporte para novos tipos de decisões no sistema de governança.”

Por fim, Taylor acredita que um controle mais detalhado sobre as propostas em si podem ser um benefício significativo:

“Outra categoria de mudança que eu gostaria de ver é a habilidade da rede ter mais controle sobre as propostas que um dono de proposta tem. Já passamos por vários problemas em que um dono de proposta gostaria de desistir de sua proposta e não têm essa capacidade no nosso sistema hoje. Um exemplo disso poderia ser se eu colocasse uma proposta para financiar um estande em uma conferência para a rede do Dash, e dois dias antes do pagamento da proposta os organizadores cancelam a conferência. Eu provavelmente gostaria mais que o orçamento fosse para outro projeto merecedor na rede, então eu, como dono da proposta, deveria ter a habilidade de cancelá-la. Há várias capacidades diferentes voltadas para controle que precisam passar a existir para as pessoas que estão participando em qualquer sistema de governança.”

O papel pioneiro do Dash no espaço de governança

Desde o início, o Dash manteve um papel de liderança no desenvolvimento de sistemas de governança descentralizados nas criptomoedas. Com a implementação do seu sistema de tesouraria, o Dash se tornou a primeira e mais longa organização autônoma descentralizada — ou DAO — com um sistema completamente descentralizado que financia a si próprio, está aberto a participação e que ainda assim tem a habilidade de atingir um consenso em decisões importantes. Partindo desse ponto, se juntaram ao Dash outros projetos com funcionalidades de governança, desde imitadores como o PIVX até projetos com abordagens alternativas e mais complicadas de governança como o Decred.

Notavelmente, no entanto, o Dash inovou mais uma vez recentemente no espaço de governança com o estabelecimento de importantes estruturas legais: o Trust Irrevogável da DAO do Dash e a Fundação Dash de Investimento, duas entidades que permitem que a rede do Dash como um todo — e não indivíduos identificados ou certos grupos — tenha posses legais e também possa investir em empresas e receber uma participação. Isso garante que o sistema descentralizado do Dash se reflita no mundo tradicional tanto na prática quanto na teoria.