This post is also available in: Français Deutsch Русский English

O PolisPay, uma solução de pagamentos em Blockchain, lançou dois novos cartões de débito de criptomoedas, um deles é um sistema de vales-presente e o outro é um sistema direto de débito, que pode permitir que os usuários possam comprar itens em praticamente qualquer lugar com Dash.


A primeira solução de pagamento é o cartão Epay Mastercard, que os usuários podem recarregar a partir do app em si, permitindo que o Dash seja usado em mais de 30 países. Este cartão, especificamente, é um cartão pré-pago que é recarregado com Dash e outras criptomoedas no app PolisPay, que agora possibilita que os usuários de desktop protejam-se com carteiras hardware Trezor. Podem-se comprar recargas de 100, 50 e 25 EUR com uma taxa inicial de 25 EUR para encomendar o cartão pelo Bitcou GmbH. O cartão então permite que os consumidores paguem tanto online quanto offline de forma anônima, com um limite inicial de 100 EUR, pois o cartão não carrega o nome do cliente explicitamente. Para aumentar os limites, os clientes podem se verificar usando um procedimento de verificação em vídeo do Bitcou, aumentando imediatamente os limites mensais para 4 000 EUR (ou 36 000 EUR anualmente).

O segundo cartão é feito em parceria com o provedor de cartão Union Pay, que oferece uma solução mais clássica semelhante a um cartão de débito, em que as conversões de Dash ocorrem em tempo real no ponto de venda:

“O processo funciona de forma que os comerciantes são pagos em sua própria moeda enquanto você é cobrado em Dash com seu saldo pré-pago. Isto garante que os usuários serão capazes de pagar pelos produtos em estabelecimentos em que as criptomoedas não foram completamente adotadas ainda. Em breve você poderá gastar seus Dashs onde quiser!”

Atualmente o PolisPay está em teste beta aberto e aceita pedidos para testar seus serviços.

Tornando realidade as compras com criptomoedas

Os novos cartões de débito de criptomoedas da PolisPay ajudam a alinhar o Dash com sua visão de fazer o dinheiro peer-to-peer uma realidade, incluindo para compras cotidianas. No entanto, a adoção pelos comerciantes passou por dificuldades pois a maior parte dos comerciantes não querem usar uma carteira separada para aceitar compras com criptomoedas. Várias organizações combateram esse problema desenvolvendo soluções de ponto de venda para que os comerciantes pudessem integrar os pagamentos em criptomoedas nos seus sistemas atuais com custos mínimos de troca. Ainda assim, a adoção ainda teve dificuldades, e alguns comerciantes que aceitavam criptomoedas decidiram parar de aceitá-las conforme o preço caiu e as compras dos usuários se reduziram, sem contar os custos crescentes de transação devido a problemas de escala em grandes redes como o Bitcoin. Isto levou a outra solução, que inclui cartões de débito que permitem que os consumidores paguem com sua criptomoeda preferida enquanto um terceiro cuida da conversão para moeda local e do processamento de pagamento. No entanto, isto depende em última instância na confiança em um terceiro, e em utilizar o sistema de moeda fiduciária, é, portanto apenas uma solução temporária para adoção geral.