This post is also available in: frFrançais deDeutsch ruРусский enEnglish

O Dash Africa é um dos projetos de base financiados pela tesouraria da Dash que estão divulgando ela pelo mundo. Por meio do suporte da equipe ao time de futebol Dash Leopards, eles estão possibilitando uma vida melhor para um grupo de crianças por meio dos esportes, educação e atividades sociais. Apesar de pequena, a Dash África é um de muitos dos esforços de base para levar a Dash a outro nível com a divulgação na comunidade.

Precisa-se de criptomoedas

Os gurus e “formadores de opinião” tradicionais gastaram muita tinta e perturbaram muitos elétrons falando sobre motivos para as criptomoedas não serem muito úteis. Eles apontam para o fato de que cartões de crédito e débito são tudo que se precisa para conveniência, que contas bancárias são abundantes e fáceis de conseguir, e que as criptomoedas são muito voláteis. Esses supostos especialistas dão uma miríade de razões para as moedas virtuais não serem nem necessárias nem particularmente úteis; e, em certa medida, eles estão certos, mas só no que diz respeito ao mundo desenvolvido.

E quanto aos bilhões de pessoas no mundo em desenvolvimento? O Bolívar Venezuelano é praticamente inútil, sobrecarregado com uma inflação de 4 dígitos. Zimbábue teve uma hiperinflação tão desenfreada que em 2009 eles se desfizeram de sua moeda de vez, e os zimbabuanos passaram a usar múltiplas moedas estrangeiras para fazer transações. No Quênia, minutos de celular são a verdadeira moeda do país, já que a maior parte dos quenianos e tanzanianos usam um serviço chamado M-Pesa para fazer transações trocando minutos de celular.

Em todos esses lugares e em mais, as moedas digitais poderiam ser extremamente úteis. Os empecilhos para a adesão nos países desenvolvidos não estão presentes no mundo em desenvolvimento, e muitos deles aceitariam de bom grado uma criptomoeda volátil que pelo menos mantêm alguma consistência com o seu valor original. O Bitcoin não é adequado devido às suas velocidades baixas de transação e taxas periodicamente altas. No entanto, a Dash, com suas funcionalidades voltadas para pagamentos, tais como o InstantSend, poderia facilmente ser usada para transferir valor de uma pessoa para a outra em questão de segundos.

Mudando vidas

A Dash Africa, no entanto, não é só sobre divulgar a Dash. O principal objetivo deles é melhorar a vida dos Africanos, e eles estão usando a Dash para isso. Por meio do Dash Leopards, as crianças aprendem sobre trabalho em equipe e sobre a importância do exercício, o grupo também sedia atividades sociais, como música ao vivo. O treinador Edgar ensina às crianças várias habilidades para a vida e ajuda com os trabalhos escolares e com tutoria. A treinadora Brenda ensina as crianças sobre comida saudável e nutrição, faz para eles vitaminas e oferece alguns lanches saudáveis.

Dash na África

A Dash realmente tem uma chance de prosperar na África devido ao grande número de pessoas sem conta bancária e à familiaridade das pessoas com o uso de telefones celulares para manuseio de dinheiro. Muitas das moedas do continente são fracas e pouco saudáveis, então guardar dinheiro em Dash serve como uma defesa contra os valores decrescentes das moedas fiduciárias. O projeto Kuva, também financiado pela tesouraria da Dash, está trabalhando para fazer os Zimbabuanos usarem a Dash como moeda, em vez das muitas moedas estrangeiras que são atualmente usadas no país. A Dash tem uma vantagem chave porque ela é dinheiro digital: transferível instantaneamente e fungível, com taxas baixas.

A Dash até agora patrocinou programas de divulgação em cinco países africanos: Gana, Nigéria, África do Sul, Zimbábue e Marrocos. A Dash Africa registra o progresso dos vários projetos e dá relatórios sobre o seu progresso.