This post is also available in: Deutsch Русский English

De acordo com a estrela do jornalismo independente Ben Swann, criptomoedas têm valor, e são lastreadas por uma transparência radical.

Em um vídeo de seis minutos para o seu segmento Reality Check, Swann considerou a crítica central dos opositores das criptomoedas: que elas não possuem valor intrínseco, que não são “lastreadas” por algo como metais preciosos. Ele explicou em detalhes como a tecnologia da blockchain é na verdade lastreada por transparência radical, e que todos os movimentos da rede são estão à vista do público geral, tanto o seu suprimento, todas as suas transações, taxas de transações, e mais. Por conta disso, criptomoedas baseadas em uma blockchain pública reúnem muito mais confiança que uma rede opaca tal como a de um banco ou das cadeias de produção de metais preciosos que podem estar sujeitos a manipulação e desonestidade. No Facebook — onde o vídeo conseguiu a maior atenção até agora — ele atingiu cerca de 50 000 visualizações.

Swann, um fã e usuário de longa data das criptomoedas, agora é completamente patrocinado pela Dash, permitindo que ele fale livremente em vez de temer a censura dos patrocinadores avessos a controvérsias das mídias.

Uma rede completamente auditável é mais confiável que um sistema secreto

O caso de uso primário da blockchain é fornecer um sistema de contabilidade que não pode ser adulterado ou encoberto. Isso é um grande contraste com o sistema financeiro tradicional, no qual o suprimento das moedas pode ser inflado por caprichos e unidades da moeda serem destruídas ou tiradas de circulação com ou sem intenção. A contabilidade também está suscetível a erros ou descuidos, como no caso do Exército dos EUA perdendo a conta de 6.5 trilhões de dólares em 2016.

Com as criptomoedas, tal confusão é simplesmente impossível. Além disso, o suprimento não pode ser inflado ou alterado arbitrariamente, e quaisquer tentativas de fazê-los seriam reconhecidas não só pela rede inteira, mas pelo mundo inteiro. Por conta de sua transparência inerente, as criptomoedas geram um certo nível de confiança quando comparadas com os sistemas de moedas fiduciárias, e com essa confiança vem o valor.

O sistema de financiamento radicalmente transparente da Dash

Uma das funcionalidades inerentes do ecossistema da Dash é a transparência radical do modelo de financiamento da sua organização descentralizada autônoma (DAO). Devido à distribuição da recompensa dos blocos, a Dash faz com que 10% de todas as moedas novas criadas estejam ao seu dispor para o financiamento de vários projetos incluindo, mas não limitado a, desenvolvimento. No momento, esta quantia é 6 651.85 Dashs mensais, ou cerca de 4 milhões de dólares nos preços atuais. Esse número está publicamente disponível e auditável, assim como cada proposta de financiamento requisitando esses fundos. Todas as entidades pagas pela DAO da Dash devem fazer um pedido de financiamento que está aberto para ser visto por todo o mundo, e a movimentação desses funcos está igualmente visível para todos.

Este arranjo leva a transparência um passo além daquele dos negócios ou organizações que usam criptomoedas, que podem desfrutar de uma transparência e contabilidade mais completas por meio da natureza pública da blockchain, no entanto ainda é necessário revelar quais são as transações e quais são os seus endereços. No caso do ecossistema geral da Dash, essa barreira inicial de requisitar o primeiro passo para a transparência já foi cruzada, com os pagamentos públicos direto para a blockchain. Enquanto a Dash possui algumas funcionalidade melhoradas de privacidade que podem tornar as transações impossíveis de rastrear, e que qualquer contratado que desejasse anonimizar os seus fundos após o pagamento inicial está livre para fazê-lo, isto complica severamente atos de má-fé, nos quais um grupo ou organização se compromete a usar os fundos da tesouraria da Dash de uma maneira transparente, e depois vai contra sua promessa. Nesses casos, o comportamento desonesto é facilmente descoberto.