This post is also available in: frFrançais deDeutsch ruРусский enEnglish

A organização descentralizada autônoma da Dash (DAO) agora é a proprietária legal do Dash Core, o primeiro caso dentre as criptomoedas.

Ao contrário de muitos outros grandes projetos de criptomoeda, a Dash é uma DAO: uma entidade organizada e autofinanciada que ainda assim dispensa autoridades centrais e está aberta para a participação de todos. Para solidificar essa teoria na prática, o Grupo Dash Core — a entidade legal para o time de desenvolvimento da Dash — montou uma estrutura legal para representar a rede que agora é proprietária do Grupo Dash Core. Essa é a primeira vez de acordo com o CEO do Dash Core Ryan Taylor, e resolve muitos problemas envolvendo a confiança de uma entidade centralizada:

“Até onde sabemos, essa é a primeira vez em que essa estrutura legal em particular foi estabelecida. A estrutura legal que criamos resolve muitos problemas para a Dash. Primeiramente, isto permite que o DCG cresça para apoiara a rede sem introduzir o risco de que a entidade legal ou algum conjunto de proprietários do DCG pudessem simplesmente parar as operações, liquidar, e sair andando com milhões de dólares em ativos, deixando assim a rede com um vácuo significativo de liderança e desenvolvimento. Isto também estabelece um dever fiduciário para com a rede, garantindo que o DCG seja legalmente requisitado para agir em defesa dos interesses da rede.”

Notavelmente, esta estrutura permite uma transição suave no caso do evento improvável de uma remoção e substituição dos desenvolvedores e da liderança:

“Isso também garante um caminho suave para os ativos, organização, e recursos humanos possuídos pelo Grupo Dash Core caso a rede decida substituir a sua gerência. Tomando todos esses benefícios em conta juntos, o Grupo Dash Core agora é um ativo melhor para a rede devido ao seu perfil de risco grandemente melhorado. Isto cria menores riscos para iniciativas de financiamento, tanto para aqueles diretamente patrocinados pelo Grupo Dash Core, quanto para fundos bloqueados como garantia para outras entidades legais.”

Aumento da descentralização ao permitir que o time do Dash Core seja de propriedade da rede

Taylor acredita que essa nova estrutura permite à rede ser proprietária das várias entidades que ela financia, sem prejudicar a privacidade dos masternodes, enquanto ainda permitindo que eles votem diretamente na liderança do Core, e que tenham essa decisão garantida pela lei:

“Os masternodes tecnicamente não são “proprietários” do Grupo Dash Core diretamente, o que se provou ser impossível de realizar sem obrigar os proprietários de masternodes a se identificarem. Existem dois benefícios principais de ser proprietário de uma companhia: controle e lucros. Já que o DCG não visa lucros, nós só precisamos resolver a questão do controle para fornecer os benefícios de propriedade. O Fundo Irrevogável da DAO da Dash é o proprietário legal do Grupo Dash Core, e o controle absoluto sobre a liderança do Dash Core Group reside nos masternodes. Os masternodes podem se sentir confiantes que a liderança do DCG pode ser removida e substituída por outro time a qualquer momento que eles desejarem, por via de um voto explícito da rede. E o administrador tem o dever de instalar a liderança que tem o suporte dos masternodes.”

A descentralização é um tópico importante no mundo das criptomoedas, com muitos projetos permanecendo com código completamente aberto e movidas a voluntários. Questões tais como uma porção significativa dos desenvolvedores do Bitcoin serem empregados por uma única companhia, e a controvérsia circundando as decisões de redimensionamento de tais desenvolvedores (que resultaram em última instância num fork para o Bitcoin Cash), alegações de manipulação de mercado por parte do fundador da Litecoin, e uma insatisfação similar com anúncios falsos feitos pelo desenvolvedor líder do Monero, todas apontam para a importância de um controle descentralizado sobre as decisões da liderança. A Dash tem um mecanismo que seria útil em todos os três exemplos mencionados acima.

Um exemplo para o resto da rede

Enquanto o Dash Core tenha sido a primeira entidade legal a se colocar em tal arranjo com a rede, essa primeira instância pode clarear o caminho para outros projetos da Dash que estão pensando em fazer o mesmo. De acordo com Taylor, estabelecer propriedade legal pode ajudar a reduzir a incidência de fraude ou falta de entrega por parte dos contratados pela rede:

“Eu acredito que isto trará muitos benefícios para a rede. Primeiramente, isso cria um modelo que outros contratados pela rede podem considerar emular para melhorar o seu próprio perfil de risco e gerar confiança para a rede. Em segundo lugar, o DCG agora está numa posição para entrar em acordos legais e fazer garantia de fundos para contratados menores, o que deve diminui as incidências de fraude ou a falta de retorno, caso os masternodes escolham exigir um padrão maior de quem fez a proposta. Em essência, a rede da Dash agora tem uma nova ferramenta ao seu dispor para fazer seus investimentos terem um retorno de valor mais consistente.”

Finalmente, Taylor vê esse arranjo específico como valioso para o estabelecimento de organizações sem fins lucrativos sob a administração da rede:

“Algumas entidades legais fazendo serviços para a rede da Dash o estão fazendo com fins lucrativos, e não há nada errado com isso. Mas eu acredito que o Grupo Dash Core está estabelecendo um exemplo forte para outras entidades legais seguirem quando forem servir à rede e lucros não serem o motivo principal.”