This post is also available in: Français Deutsch Русский English

A Embaixada Dash D-A-CH foi convidada para uma Mesa Redonda de Inovação com o DZ Bank — o segundo maior grupo bancário da Alemanha — e para a GENOhackathon.

O convite para a Mesa Redonda de Inovação foi feito por Patrick Steiner, do Desenvolvimento de Estratégia e Inovação do Laboratório de Inovação do DZ Bank, que conheceu o essra da Embaixada Dash D-A-CH durante uma das pelestras do essra no Inovations for Banks 2018. A Mesa Redonda de Inovação incluiu o Volksbank, Raiffeisenbank, Sparda, PSD e muito outros. Durante sua palestra na Mesa Redonda de Inovação, essra contrastou como as filiais de bancos estão fechando caixas eletrônicos, mas os caixas eletrônicos de criptomoedas estão crescendo. Ele também discutiu como a Dash está ajudando as pessoas na Venezuela e, para provar que a ameaça de inflação pode chegar mais perto de casa, ele trouxe os recentes problemas econômicos da Turquia.

As pessoas na Mesa Redonda de Inovação ficaram tão impressionadas com a palestra do essra e com as capacidades da Dash que ele foi convidado para o GENOhackathon sediado nos Escritórios da Microsoft em Koln na Alemanha. Lá ele vai apresentar ideias relacionadas a fazer os bancos adotarem carteiras multiassinatura (multisig) e incorporar a Dash nas redes de caixas eletrônicos pela parte alemã da Europa.

Oportunidade de crescimento em países desenvolvidos

A Dash e as criptomoedas testemunharam um crescimento maciço em economias emergentes com inflação significativa, como a Venezuela, ou uma infraestrutura bancária pobre, como muitos países africanos. Isto leva a discussões de que as criptomoedas não podem funcionar em países desenvolvidos já que as alternativas de moeda fiduciária e cartões de bancos funcionam muito eficientemente para os consumidores fazerem a troca. No entanto, isto não é necessariamente verdade, como pode ser visto em áreas como New Hampshire, Austrália, e outros que estão adotando as criptomoedas em grandes números mesmo sendo consideradas economias desenvolvidas.

A Europa alemã está familiarizada com a inflação devido à maciça hiperinflação que os alemães sofreram durante o período Weimar. Isto então levou a uma tendência cultural de rígidas políticas monetárias e fiscais na Alemanha como visto pelas pressões que eles fizeram durante a crise do Euro. Esta adversidade para a inflação combinada com a percepção de que calamidades econômicas poderiam facilmente ocorrer novamente — especialmente numa união monetária diversa — dá uma oportunidade para a adoção da Dash e das criptomoedas. A Embaixada Dash D-A-CH está tentando promover ainda mais a Dash nas economias desenvolvidas da Europa alemã com suas atuais palestras e em breve presença na GENOhackathon.

Essra planeja mostrar como o uso de carteiras multiassinatura por bancos e seus clientes ajudaria a aumentar a utilidade e adoção entre os usuários como uma transição do velho sistema financeiro para o novo sistema financeiro. Eles ainda estão trabalhando nos detalhes e pretendem ajustar a ideia como necessário conforme descobrem novas informações na hackathon. Eles também querem encontrar uma maneira de incorporar a Dash nas redes de caixas eletrônicos bancários de alguma maneira, adaptando o hardware velho ou posicionando e integrando estrategicamente novos caixas eletrônicos crypto com os velhos caixas eletrônicos bancários. Isto iria permitir uma transição ainda mais suave para muitos consumidores na comunidade das criptomoedas.

A Dash possibilita crescimento por meio de uma adoção mais fácil

A Dash está se esforçando para se tornar uma moeda e método de pagamento que pode ser usada por indivíduos em compras cotidianas sem importar o quão pequenas. Para fazer isso, a Dash está apresentando suas vantagens técnicas enquanto também minimiza os custos de troca para os consumidores. A Dash reconhece que mesmo que a Dash tenha vantagens sobre outras criptomoedas e moedas fiduciárias tais como seus custos de transação excepcionalmente baratos e sua independência do controle centralizado do governo, muitos consumidores ainda não entendem a Dash e as criptomoedas em geral, e estão portanto hesitantes em adotar a Dash. A presença física da Embaixada Dash e o esforço de relações públicas na Europa alemã permitiu conexões de networking e palestras para educar e expor a Dash para indivíduos e grupos que talvez nunca tenham ouvido falar dela antes.

A Dash está reduzindo os custos de transição tornando a Dash simultaneamente tão rápida quanto, e até mais rápida que, os métodos tradicionais de pagamento e trabalhando para criar uma interfaces e experiências suaves para os usuários. A Embaixada Dash D-A-CH está fazendo a Dash ser compreensível e facilmente adotável na Europa alemã por meio de sua presença física e iniciativas como as mencionadas acima. A Dash Venezuela, o Dash Merchant, e o Dash Help estão trabalhando para aumentar a adoção dos consumidores e dos comerciantes na Venezuela e na América Latina ao também oferecerem um local e uma pessoa física para responder perguntas dos consumidores. O sistema de tesouraria da Dash, o DashBoost, o DashDonates, e sua comunidade em geral permite que a Dash ofereça a infraestrutura para que a Dash seja uma criptomoeda descentralizada, digital e peer-to-peer, enquanto ainda possui traços de interação física suficientes para que os consumidores consigam fazer uma transição mais fácil.