This post is also available in: Français Deutsch Русский English

A Dash recentemente publicou o repositório no GitHub para a DIP-5, que oferece múltiplas funcionalidades em relação à criação de nomes de usuário e portanto aumenta a usabilidade geral da Dash e avança o Roadmap da Evolution.

A Dash Force News falou com Joshua — um Engenheiro de UX/UI do Dash Core Group, que chamou a DIP-5 de “uma atualização emocionante com alicerces importantes para a Evolution” — sobre suas implicações gerais para a rede da Dash.

Joshua rapidamente resumiu a DIP-5 citando o resumo do GitHub da DIP-5.

“A DIP 5 fala sobre Usuários Blockchain. Esta é uma parte essencial para tornar os DAPs (apps descentralizados) da Dash fáceis de usar. Citando a DIP, isto ‘permitirá transações mais amigáveis ao usuário e suportará aplicações autenticadas pela blockchain’.”

Num chat em vídeo, Joshua discutiu mais sobre os componentes integrais da DIP-5 que incluem “registro de um novo usuário na blockchain, adicionar crédito para o usuário blockchain, redefinir uma chave de usuário blockchain, e fechar uma conta de usuário, assim como algumas outras coisas”. Na página de resumo do GitHub, a DIP-5 introduz os Usuários Blockchain (BUs) para “possibilitar serviços seguros que estão ligados a um usuário registrado na blockchain” mesmo em carteiras que só utilizam SPV (Verificação de Pagamento Simples) já que eles não fazem download de toda a blockchain. A DIP-5 afirma que “Um Usuário Blockchain carrega seu usuário convertendo Dashs em créditos que são usados como taxas para pagar por Transições de Estado”, que serão “descritas em uma DIP posterior”.

Usuários Blockchain são compostos do seguinte:

  • Comprimento mínimo: 3 caracteres
  • Comprimento máximo: 24 caracteres
  • Caracteres aceitáveis: :A-Z (sem distinção de maiúsculas e minúsculas); 0-9; underline _; ponto .
  • Nota: Usuários são validados com todas as letras minúsculas independentemente de serem maiúsculas ou não no SubTxRegister
  • Únicos na blockchain da Dash e na mempool atual
  • Imutáveis – o nome de usuário de um Usuário Blockchain não pode ser modificado

Os detalhes da DIP-5 revelam sua inovação

Primeiro deve ser informado que este artigo é somente um breve resumo e que para conseguir uma compreensão mais inclusiva da DIP-5 seria bom ler o repositório no GitHub. A DIP-5 descreve Usuários Blockchain (BUs) como indivíduos que submeteram um pedido válido para a rede por um nome de usuário e que também possuem uma chave pública derivada da chave privada do BU.

“Um Usuário Blockchain é um proprietário de chave privada que emitiu uma Transação de Assinatura de Registro (SubTxRegister) contendo:

  1. Um nome de usuário não registrado – validado como único na mesma altura de bloco na qual a transação é minerada e sendo único garantidamente por todo o tempo de vida da assinatura.
  2. Um chave pública – derivada da chave privada do Usuário Blockchain. Isto permite que pedidos de usuário (assinados com a chave privada) sejam validados.”

Além disso, os BUs precisam “manter um saldo de valor usado para pagar taxas relacionadas com ações Evolution que eles executam na rede”. No entanto, estas taxas serão “criadas convertendo Dashs em “créditos” numa razão de 1:1 quando o Usuário Blockchain é registrado e então consumido via Transições de Estado DAP (modificando os dados do usuário em um DAP)”. Joshua descreveu esse processo na videoconferência como um processo de registro em créditos (que são criados a partir de Dashs, mas ainda são transferíveis), já que os créditos só podem ser usados para se registrar na rede da Dash e serem usados na plataforma Evolution; créditos são quase como um código/voucher de referência. No entanto, quando esses créditos são gastos, eles são processados pelos mineradores e convertidos de volta para Dash. Este sistema permitirá cadastros na rede da Dash sem necessitar da entrega de Dash que pode ser gasta sem que o novo usuário se integre novamente na rede da Dash. A DIP-5 também afirmou que “o saldo de créditos e consumo de créditos será descrito de maneira mais completa em DIPs adicionais se relacionando com Transições de Estado”. Para ajudar um pouco mais no entendimento, as Transições de Estado podem brevemente, mas não completamente, serem descritas como manipulações dos dados de um BU na rede da Dash tais como adição ou deleção de contatos.

Baseado em um bom resumo do phez na página da Dash no Medium, a DIP-5 e os nomes de usuário vão reduzir significativamente a quantidade de passos necessários para completar uma transação, de 5 passos para 3 passos, e de 5 passos para 1 passo para pagamentos recorrentes.

“Current payment process

1. Request payment address (Alice)

2. Provide payment address (Bob)

3. Add address to payment field (Alice)

4. Verify address (Alice)

5. Send Payment (Alice)

For recurring payments: Repeat steps 1–5

Blockchain user payment process

1. Add contact by username (Alice)

2. Confirm contact* (Bob)

3. Send Payment (Alice)

For recurring payments: Repeat step 3 only!”

Como Joshua mencionou antes, esta DIP-5 cobre “registro de usuários blockchain” (SubTxRegister), “recarga de crédito de usuário blockchain” (SubTxTopup), “reiniciar chave do usuário blockchain” (SubTxResetKey), e “fechar conta de usuário blockchain” (SubTxCloseAccount). Algo também significativo é que o fechamento da conta de um BU é possível por meio da chave privada mais recente ou, se for uma chave pública recentemente atualizada via SubTxResetKey, então a conta pode ser fechada por meio de chaves privadas previamente usadas [“<= ~90 dias de idade (51840 blocos)”]. Isto é um mecanismo de defesa para o caso de um “atacante obter a chave privada de um usuário blockchain e em seguida muda a chave pública via ResetKey”, então isto permite que “o usuário legítimo ainda feche a conta com sua chave antiga”.

A Dash fomenta inovação para tornar a Evolution uma plataforma amigável ao usuário

A Dash esteve focando em se tornar uma moeda do cotidiano para pagamentos pelo mundo oferecendo uma moeda peer-to-peer, digital e descentralizada de maneira barata, rápida e segura. No então outra funcionalidade necessária é a facilidade de usar, com interfaces e experiências amigáveis para que indivíduos que não são hábeis com a tecnologia sejam capaz de usar a Dash facilmente sem ter que tomar muito tempo dos seus dias corridos para aprender um novo sistema. A Dash está se esforçando para tornar a adoção tão fácil quanto possível para todos os indivíduos, o que é uma parte significativa da Evolution e o que esta DIP-5 começa a alcançar estabelecendo as bases para o uso de usuários no envio e recebimento de transações. Nomes de usuários superam a hesitação de adoção causada pelos endereços criptográficos ou códigos QR que são confusos e estranhos para muitos novos consumidores que não são hábeis com a tecnologia, mas que ainda podem se beneficiar muito da Dash.

A Dash Evolution é uma série de melhorias para a rede da Dash, que inclui as DIPS 2, 3, e 4 para introduzir listar determinísticas de masternodes, várias melhorias para o PrivateSend, e liquidação automática InstantSend sem as taxas extras para transações simples até o final do terceiro trimestre ou começo do quarto. Então se planeja introduzir a versão da Dash 13.0, também chamada de Evolution, com usuários blockchain, arquitetura DAP, DAPI e um lançamento inicial da carteira móvel DashPay. Mais à frente na primeira metade de 2019 está marcado o lançamento da versão 13.1, que inclui controle de versões de contratos, gatilhos de dados para contratos, funcionalidades para comerciantes na DashPay, e mais. Todas essas funcionalidades demonstram as capacidades inovadoras da Dash que são tão dedicadas trazer facilidade para o usuário e usabilidade de maneira que a Dash possa melhorar continuamente o seu base de usuários como método de pagamento e adoção dos comerciantes, que já vem crescendo exponencialmente.