This post is also available in: Français Deutsch Русский English

A Dash anunciou a futura implementação do ChainLocks, uma abordagem para resolução de uma variedade de perturbações na rede, incluindo ataques de 51%.

Em um post recente, o desenvolvedor da Dash Codablock explicou qual é a nova abordagem de segurança do futuro lançamento. A nova Proposta de Melhoria da Dash 8 (DIP 8), apelidada de ChainLocks, aproveitará os quóruns longevos de masternodes (LLMQs) para assinar os blocos na medida que eles são avistados pela rede, protegendo contra ataques e tentativas de reversão de transações:

“A ideia do ChainLocks é fazer um voto/medição verificável da regra do “primeiro avistado” por toda a rede. Para cada bloco, um LLMQ de algumas centenas de masternodes é selecionado, e cada membro participante assina o primeiro bloco que ele vê estendendo a cadeia ativa de blocos. Se membros suficientes (e.g. >= 60%) veem o mesmo bloco como o primeiro bloco, eles serão capazes de criar uma mensagem P2P (CLSIG) e propagá-la para todos os nós da rede. Há alguns detalhes mais no processo, especialmente quando múltiplos mineradores encontram um bloco aproximadamente ao mesmo tempo.”

O benefício mais importante dessa nova abordagem é que ela torna um ataque puramente por meio da mineração impossível, significando que ataques 51%, tais como o que recentemente ameaçou a rede do Bitcoin Cash, não uma serão ameaça por si só. Além disso, desafios associados a minerar outra cadeia em segredo, tais como mineração egoísta e reorganizações de cadeia também se tornarão uma preocupação do passado:

“Ele remove todos os incentivos para os mineradores causarem reorganizações da cadeia. Muitos ataques baseados em mineração secreta ou mineração egoísta se tornam impossíveis, pois todos eles dependem da retenção de cadeias mais longas e secretas pelos mineradores. Sob as regras atuais de consenso, essas cadeias iriam sobrepor a cadeia publicamente conhecida, e causar uma reorganização da cadeia quando publicadas. Com o ChainLocks, no entanto, os mineradores são incentivados a publicar cada bloco imediatamente, mesmo se eles em teoria tivessem hashpower suficiente para subjugar todos os outros mineradores. Não publicá-los criaria riscos substanciais para um minerador malicioso, pois qualquer cadeia secreta (mesmo se milhares de blocos mais longa) poderia ser imediatamente invalidada se outro minerador honesto publicasse um bloco válido que recebe uma CLSIG antes da cadeia secreta ser revelada.”

No lado dos consumidores, a introdução do ChainLocks significa que as transações podem ser consideradas seguras depois de uma única confirmação:

“O efeito mais importante para usuários normais e para os comerciantes é que as transações podem ser consideradas completamente confirmadas depois da primeira confirmação on-chain no bloco protegido pelo ChainLocks. Transações não podem mais desaparecer da cadeia, pois a reorganização de blocos assinados/trancados não é possível.”

No momento, a maior parte dos serviços como casas de câmbio requerem 1-3 confirmações para confiarem nas transações de Bitcoin, com 5-6 para a Dash. Com a implementação do ChainLocks, isto não seria mais necessário. Mais informações sobre os detalhes do ChainLocks podem ser encontrados nas especificações da DIP 8.

O ChainLocks não é possível na maior parte das criptomoedas

Funcionalidades como o ChainLocks só são possíveis por causa da rede de Masternodes da Dash, e não podem ser implementadas na maioria das criptomoedas. Isto é devido ao fato dos nós da maior parte das cadeias serem vulneráveis a ataques sybil. Ou seja, um atacante em potencial seria capaz de criar milhares de nós com relativa facilidade:

“Um dos principais prerrequisito para tornar o ChainLocks seguro é uma rede de nós semi-confiáveis protegida contra sybil. Uma moeda que não oferece tal classe de nós não será capaz de implementar algo como o ChainLocks de maneira segura. No Bitcoin por exemplo, qualquer coisa que dependesse de “votos” dos nós individuais poderia ser enganada simplesmente criando milhares de nós maliciosos.”

A Dash é capaz de evitar este risco usando masternodes, que requerem que os nós provem a posse de 1 000 Dashs, prevenindo que um atacante possua uma maioria dos nós sem possuir uma porção significativa de todo suprimento de moedas:

“Na Dash, a rede de Masternodes é protegida contra um ataque sybil exigindo uma garantia de 1 000 Dashs por Masternode. Isto torna economicamente antiprático executar um ataque sybil, simplesmente porque comprar masternodes suficientes exigiria recursos financeiros substanciais, que estariam sob alto risco durante a execução de quaisquer ataques. Com os parâmetros atuais que visamos para os LLMQs, um atacante teria que comprar pelo menos 60% de todos os Masternodes para conseguir uma chance realista de sucesso.”

A rede de masternodes da Dash permite várias funcionalidades extras e melhorias, incluindo transações instantâneas, privacidade avançada, e governança, o ChainLocks nada mais é que o item mais recente de uma longa lista de melhorias que só foram possíveis por conta da inovação dos masternodes.

Uma reorganização para aumentar a segurança e eficiência pelo mesmo custo e metade do consumo de energia

Além da maior segurança e do risco reduzido de perturbações da rede e de comportamento malicioso por conta dos mineradores, o ChainLocks também permite que o modelo de segurança da Dash opere com uma eficiência muito maior do que outros arranjos de POW. Como apontou o comentarista 1bet 1beer, a divisão da recompensa de bloco da Dash permite que o seu modelo de segurança opere com uma hashrate significativamente reduzida, e portanto com um consumo de energia menor quando comparado com outras redes:

“Pessoalmente, uma coisa que e preocupava é o fato de que as recompensas de mineração serão diminuídas com o tempo, devido às menores recompensas de bloco e também pela meta de manter os custos de transação tão baratos quanto possível, isto resultaria em hashrates muito menores, o que por sua vez tornaria muito mais provável que alguém pudesse tentar fazer ataques como o que você descreveu. Mas agora isso não é mais possível, recompensas muito menores de mineração não significam riscos maiores, ao mesmo tempo isso também vai diminuir substancialmente os custos de energia! Em outras palavras, não haverá necessidade de manter os custos de transação artificialmente altos para se proteger de ataques. O POW acabou de ficar bem mais verde na minha opinião.”

Além disso, por conta da divisão das recompensas de bloco, a alocação da Dash traz muito mais segurança para a rede com uma mesma recompensa do que uma simples recompensa de 100% para a mineração. Isto significa que, quando comparada com uma rede com o mesmo valor usando somente o POW básico, a Dash pode oferecer uma segurança muito superior pelo mesmo preço e metade do consumo de energia.