This post is also available in: Français Deutsch Русский English

Depois de sua proposta bem-sucedida em Dezembro, Kevin McKernan da Medicinal Genomics está novamente pedindo financiamento da rede Dash, desta vez para melhorar o sequenciamento do genoma da cannabis. Em sua primeira proposta, McKernan pediu para a rede financiar um patrocínio a nível de parceria para a futura conferência CannMed 2018. Ele também recebeu financiamento para transferir o seu trabalho em genômica da cannabis, passando da blockchain do Bitcoin para a da Dash.

Patentes quebradas

Este projeto de genômica é particularmente interessante e importante devido à natureza defeituosa do sistema de patentes estadunidense. As plantas de cannabis foram reproduzidas seletivamente para criar cepas de maior qualidade por muitos anos, mas devido à natureza ilegal da maconha, ninguém tentou patentear as suas cepas. Fazê-lo seria basicamente uma confissão de violação da lei ao cultivar as plantas em primeiro lugar. No entanto, conforme a cannabis começou a ser legalizada em várias jurisdições, as corporações entraram no jogo e começaram a pedir patentes de certas cepas de cannabis.

Por conta do conhecimento limitado do escritório de patentes sobre a indústria e do estado da técnica (cepas que já eram amplamente adotadas e não deveriam ser patenteadas), patentes excessivamente amplas foram registradas. Essas patentes não podem ser fiscalizada por conta das proibições federais no cultivo e distribuição de cannabis, mas se isso mudar no futuro, os produtores serão limitados pelos donos das patentes.

Registro imutável

A Genômica Medicinal está ajudando a combater esse problema ao permitir que produtores sequenciem o genoma de suas plantas e postes esses dados em uma blockchain inalterável. Se alguém tentar patentear certos genes ou cepas inteiras no futuro, o produtor original pode provar que a planta já existia antes do requerente pedir a proteção da patente. Por exemplo, se uma companhia tentar patentear uma cepa de cannabis em 2019, mas um produtor já tivesse postado uma prova na Blockchain que esta mesma planta existia em 2018, a patente seria negada devido ao estado da técnica.

Depois da proposta bem-sucedida de McKernan em Dezembro, todos os dados genômicos foram migrados da blockchain do Bitcoin para a blockchain da Dash. Novos dados serão postados exclusivamente na blockchain da Dash.

Proposta de fase 2

McKernan agora está pedindo que a rede Dash faça um investimento adicional no espaço da cannabis oferecendo financiamento para mais sequenciamentos do genoma da cannabis. Enquanto o genoma foi sequenciado pela companhia de McKernan em 2011, ele estima que um terço do genoma continua desconhecido. Graças a avanços da tecnologia de genômica, caso ele receba financiamento da rede Dash, ele acredita que pode sequenciar o genoma da cannabis 100 vezes melhor que seu projeto de 2011.

Marketing de movimento cultural

McKernan acredita que a rede deve financiar o seu projeto de sequenciamento de genoma porque ele daria à Dash uma verdeira “reputação nas ruas” dentro da indústria da cannabis. Quando a sua companhia sequenciou o genoma em 2011, eles o tornaram completamente livre e aberto, gerando uma quantidade enorme de boa vontade na indústria da cannabis. Se a Dash concordar em financiar esse novo projeto de sequenciamento, ele também planeja abrir os resultados.

Pagar por um grande avanço científico na indústria é um uso de fundos de propaganda muito melhor do que os métodos de propaganda tradicionais, de acordo com McKernan. Anúncios tradicionais são facilmente ignorados, mas o financiamento de pesquisas importantes não o é. MacKernan antecipa que, se a Dash financiar este projeto de sequenciamento do genoma, a indústria inteira certamente irá reparar.

Investimento

McKernan aponta que a rede investiu quantidades enormes de financiamento para ganhar força como uma método de pagamento dentro da indústria da cannabis. Exemplos incluem a proposta da Alt36 para criar um sistema de ponto de venda para aceitar pagamentos em Dash nos dispensários de cannabis. Ele sugere que dedicar um pouco mais de fundos à resolução de problemas científicos na indústria poderiam tornar os investimentos prévios da Dash ainda mais potentes.