This post is also available in: frFrançais deDeutsch ruРусский enEnglish

O CrowdNode começou a oferecer direitos de voto para seus clientes, abrindo acesso ao sistema de governança da Dash para detentores menores de Dash.

O CrowdNode, companhia oferecendo posse fracionária de masternodes, permite que seus clientes juntem seus fundos para criar masternodes e recebam sua porção das recompensas de masternode para qualquer quantia maior que 1 Dash menos uma taxa de 15%. Isto possibilita uma renda passiva para um novo grupo de detentores de Dash que tradicionalmente precisavam ter 1 000 Dashs para formar um masternode e receber recompensas. Agora, o CrowdNode oferece direitos de votação para seus clientes, contando os votos baseado no tamanho das contas dos clientes e aplicando a proporção de votos nos masternodes compartilhados. De acordo com o fundador e CEO do CrowdNode Andreas Rud, abrir acesso a voto para os clientes era uma funcionalidade frequentemente exigida:

“A decisão de dar voto aos detentores menores, essencialmente para todos com esta funcionalidade, é sobre descentralização. Por que só as baleias deveriam decidir a direção da Dash? Todos deveriam ter voz! De fato nossos membros — e a comunidade da Dash — vêm pedindo por influência na DAO, então é uma boa motivação!”

Atualmente, o Crowdnode oferece 5 opções diferentes de votação para os clientes, as três opções disponíveis para os proprietários de masternodes completos (Sim/Não/Abstenção), “não fazer nada” (que essencialmente indica que nenhum voto deve ser feito), e “delegar” (que essencialmente deixa o voto para o resto dos votantes dos masternodes compartilhados). O CrowdNode atualmente opera 17 masternodes compartilhados.

Uma mudança no equilíbrio de poder dos grandes detentores para os pequenos mas ativos detentores?

A introdução de direitos de votação para detentores menores de Dash promete mudar a composição do cenário de governança. Anteriormente, somente os detentores de 1 000 Dashs ou membros de um esquema pré-arranjado de posse de masternodes, eram capazes de fazer parte do sistema de governança, representando um conjunto diverso se bem que particular de membros da comunidade. De acordo com Rud, a introdução de direitos de votação para clientes do CrowdNode democratiza significativamente o processo:

“Quanto ao cenário de votação, sempre foi um argumento dos críticos que influência sobre a DAO da DASH é “só para os ricos” pioneiros. Com iniciativas como essa, esse argumento se torna cada vez mais irrelevante. O objetivo aqui é democratizar a DAO em direção a 1 DASH — 1 voto.”

A introdução de votos fracionários de masternodes pode mudar a dinâmica de votação ainda mais do que simplesmente criar um novo conjunto de votantes. A adição da funcionalidade de “delegar” pode resultar um detentores de uma quantia relativamente insignificante de Dashs tendo um impacto muito maior se eles forem votantes ais ativos que suas contrapartes, de acordo com Rud:

“Atualmente temos 17 masternodes, algo modesto no grande esquema das coisas, mas com mais membros se juntando a nós acredito que veremos mais igualdade quando os votos forem feitos. No entanto, para contrabalancear isso criamos nossa funcionalidade de “delegar”, que acreditamos ser uma novidade na indústria. Como não esperamos que todos os nossos membros se importem em votar (assim como a maior parte dos masternodes atualmente não está votando) — nossa opção de “delegar”, que é a padrão, na realidade dá aos nossos membros que votam uma influência desproporcional já que seus votos são amplificados por todos que delegam seu poder proporcional de votação para a “sabedoria da multidão (de membros do CrowdNode)”. Quem sabe — talvez 500 Dashs votando SIM ou NÃO possam ser suficientes para conseguir que 10 ou mais votos de masternodes para a pool de masternodes do CrowdNode. Estamos muito animados para ver o desenrolar disto.”

No momento, a maioria dos masternodes na rede da Dash não participam regularmente da maior parte dos ciclos de votação. Muitas das propostas mais votadas visíveis no Dash Nexus hoje receberam menos do que 1 500 votos no total em relação aos 4 547 masternodes ativos no momento da escrita.

Votos fracionários que dispensam confiança ainda não são possíveis

Enquanto as novas ofertas do CrowdNode certamente tomam um forte passo em direção à abertura da governança para participação mais ampla, um elemento de confiança em terceiros ainda é necessário. Apesar da inclusão de masternodes com chaves divididas no recente lançamento 0.13 da Dash com uma chave separada para votação, ainda é necessário que os usuários confiem seus fundos a outra parte, de acordo com Rud:

“Quanto à confiança, ainda estamos limitados pelo protocolo. Os votos delegados introduzidos com a v0.13 é uma das funcionalidades que não podemos usar para circundar a necessidade dos membros depositarem conosco, infelizmente.”

No entanto, Rud enfatizou que o CrowdNode tomou vários passos para minimizar essa confiança tanto quanto possível, dando aos usuários um risco extremamente baixo de comprometimento dos fundos para uma ampla gama de medidas de segurança e nenhum ponto único de falha:

“No entanto, estamos fazendo tudo que podemos dentro dos limites do protocolo para manter os depósitos dos membros seguros. Desde o primeiro dia, usamos 3-4 splitting Shamir para evitar pontos únicos de falha (perda de chaves, roubos físicos, “trabalhos internos”, etc.) e nosso ‘ejetor de paraquedas’/mecanismo de homem morto, que não só assegura os fundos dos membros em caso de um grande desastre incapacitar 2 ou mais fundadores, mas também é um deterrente contra quaisquer ameaças ou tentativas de coerção de algum fundador do CrowdNode removendo completamente o incentivo econômico. A DIP3 também permite uma segurança ainda melhor, já que as chaves do collateral não são mais necessárias para a manutenção dos masternodes (ou nada além de desativar o masternode). Portanto estamos prestes a migrar para um Shamir split 5-6 das chaves privadas do colateral, no qual 2 das 6 chaves são armazenadas em um depósito de caixas de segurança de maneira que precisamos nos encontrar em um banco para tocar no colateral dos membros. Praticamente não dá para ser mais seguro que isso.”