This post is also available in: frFrançais deDeutsch ruРусский enEnglish

O CEO do Dash Core Ryan Taylor repetiu que ele ainda acredita que o Dash é a criptomoeda mais usada na Venezuela, apesar de publicações alegando o contrário.

Em uma entrevista recente para o canal no YouTube Cake DeFi, Taylor mencionou alguns artigos recentes, incluindo um escrito pela CoinDesk, levantando dúvidas acerca da adoção do Dash na Venezuela. Ele reafirmou a sua convicção no progresso de adoção que está sendo feito no país, notando o sucesso inicial dos grupos de adoção como Dash Merchant Venezuela que notavelmente inscreveu grandes números de comerciantes:

“O progresso que fizemos na Venezuela é real. Vemos evidência do seu crescimento constantemente. Estamos conseguindo trazer franquias maiores e maiores. Acabamos de receber nossa maior franquia: 22 farmácias em Caracas, e estamos negociando com sistemas de ponto de venda no momento. Nenhum desses trabalhos seria possível sem o Dash Merchant trazendo alguns milhares de pequenos comerciantes inicialmente. Acredito que o trabalho na Venezuela vai continuar.”

A referência foi para a integração recente com o Farmarket, uma franquia de farmácias na Venezuela, assim como a icônica farmácia Farmarato.

Denunciando o jornalismo enviesado do CoinDesk

Além de reiterar a crença no progresso do Dash na Venezuela, Taylor também falou sobre o artigo principal em questão, no qual a publicação de criptomoedas CoinDesk escreveu o que ele acreditava ser um ataque em vez de uma análise fatual:

“O artigo era muito enviesado. A autora entrevistou a mim e a outro membro do time, não incluiu nenhuma das nossas citações, estatísticas, ou dados. Era um artigo mal escrito que era enviesado de maneira transparente, e eu acredito que a comunidade se voltou contra ele fortemente, questionando os fatos no artigo. Ele pintou uma imagem bem sombria, quase de fraude. Eu continuo firme na afirmação que o Dash é a criptomoeda mais usada na Venezuela, com certeza no ponto de venda. É inacreditável que eles mantiveram o artigo. Fizeram uma pequena correção das dúzias que foram apontadas como incorretas.”

Ele terminou questionando a honestidade praticada pela equipe da publicação, enfatizando que isso não manchou a imagem do Dash, mas do CoinDesk.

“É só um padrão de desonestidade aqui, e quem está perdendo credibilidade é o CoinDesk. Eles não estão descredibilizando o Dash.”

Realçando as inovações recentes do Dash em segurança e governança

Finalmente, além de lidar com equívocos e informações falsas sobre o Dash na Venezuela versus outras criptomoedas, Taylor também destacou as inovações recentes do Dash, incluindo o ChainLocks, que imunizou a rede Dash contra ataques de 51% de mineração, e estruturas legais únicas estabelecidas para permitir que a rede do Dash em si tenha posse e controle de propriedades e entidades legais, melhorando a descentralização prática da rede.

A entrevista completa está incluída acima.