This post is also available in: frFrançais deDeutsch ruРусский enEnglish

O dia 1º de Agosto de 2019 marcou o aniversário de dois anos do fork do Bitcoin que criou o Bitcoin Cash por conta de um debate acerca do aumento do tamanho de bloco, e desde então houve um aumento significativo no uso das criptomoedas que não o Bitcoin.


Algumas das pessoas que favorecem a chain antiga do Bitcoin elogiam o fork por ser a escolha mais bem-sucedida por seus vários atributos e sua manutenção da maioria de capitalização de mercado. No entanto, uma análise e comparação do Bitcoin em relação a outras grandes criptomoedas pinta uma figura diferente que a que é contada só pelo preço ou capitalização de mercado. Apesar do preço refletir a demanda por um certo bem ou serviço, ele também pode estar enviesado em direção a traders especulativos no lugar de indivíduos comuns que estão realmente usando a criptomoeda.

Um dos maiores dados que sinalizam que outras criptomoedas estão crescendo é o aumento no número de endereços ativos. A quantidade de endereços ativos para o Bitcoin subiu somente 26% nos últimos dois anos, comparado com 106% para o Ethereum, 42% para o Litecoin, 16% para o Bitcoin Cash, e 106% para o Dash. Apesar de uma única pessoa poder possuir múltiplos endereços ativos, estes ainda são no geral usados como um indicador de adoção e de uso de uma moeda.

Valores medianos de transação sinalizam uso para compras reais, influenciado por taxas mais competitivas

Fonte: Bitinfocharts e DashNews

Outro sinal do maior crescimento das outras criptomoedas é a redução nos valores medianos de transação. Um valor menor de transação sinaliza compras menores, que são mais indicativas de uso real no dia a dia do que grandes valores de negociação. Além disso, o uso da mediana no lugar da média torna a análise menos enviesada em direção aos extremos. Enquanto o valor mediano de transação do Bitcoin cresceu 3%, o do Bitcoin Cash e do Dash encolheram 100% e o do Litecoin encolheu em 67%. Um detalhe, no entanto, é que essas redes conduziram testes de stress, o que envolve o uso de milhões de pequenas transações, então até mesmo a mediana é afetada, portanto a mistura de análise quantitativa e qualitativa ajuda na obtenção de mais insights.

As taxas medianas de transação do Bitcoin alcançaram um pico de 33 USD em Dezembro de 2017, e atualmente estão na faixa entre 0.5 USD e 1 USD, enquanto isso moedas como o Dash têm uma taxa mediana de transação de menos de um centavo e uma transação que é finalizada em segundos, não horas. Personalidades do Bitcoin chegaram até mesmo a propor o uso de cartões de crédito como uma solução para as altas taxas do Bitcoin em vez de realmente tentar reduzi-las. O Cryptobuyer — popular plataforma latino-americana de POS e caixas eletrônicos, até mesmo abandonou o Bitcoin por um período de tempo devido às altas taxas de transação, e disse que o Dash recentemente “ultrapassou o Bitcoin” na plataforma. Estas taxas altas não são propícias para uso real, especialmente em partes do mundo nas quais 0.5 — 1 USD pode ser um dia inteiro de salário.

Dash tem crescimento nas métricas de adoção apesar do preço


Como essas estatísticas revelam, o Dash tem estado focado em criar uma moeda que é realmente prática para a vida cotidiana, e que também está se popularizando entre os comerciantes, no momento sendo aceito em cerca de 4 800 comércios pelo mundo. O Dash está sendo aceito tanto diretamente pelos comerciantes quanto por numerosas plataformas de POS, provedores de caixas eletrônicos, e carteiras. Casas de câmbio como o Uphold — que recentemente eliminou as taxas de saque para o Blockchain do Dash — permitem que os comerciantes façam conversão automaticamente para moeda fiduciária para minimizar o seu risco com a taxa de câmbio, enquanto ainda oferecem aos consumidores serviços de pagamento rápidos e convenientes. O Uphold observou que o Dash trouxe crescimento para a sua plataforma; e, apesar da oportunidade de converter facilmente para moeda fiduciária, os usuários do Dash mostraram a maior convicção, vendendo o mínimo.

Além disso, o Dash está ficando disponível para mais consumidores se adaptando às suas necessidades por meio de serviços como Dash Text, que disponibilizam o Dash pelo mesmo baixo custo e alta velocidade para muito mais consumidores (60% dos Venezuelanos e 59% dos Colombianos) que não possuem smartphones, o que abre um mercado maior para comerciantes que aceitam Dash. Mais ainda, empresas de vales-presente estão expandindo ainda mais o mercado para se gastar Dash sem que os comerciantes aceitem Dash diretamente ou precisem de uma instalação e dispositivo de POS. Enquanto o Bitcoin continua a sofrer para oferecer uma alternativa barata para as moedas fiduciárias, outras criptomoedas estão preenchendo essa lacuna e o Dash e um forte competidor.